PRINCIPAL QUEM SOMOS P&D IN ENGLISH SERVIÇOS ARTIGOS PESQUISAS AMÉRICA DO SUL OPIM FESP VIDEOS LINKS

LEIA TAMBÉM

Conheça nosso canal

SÍTIOS OFICIAIS


URUGUAI


Bandeira do Uruguai

MONTEVIDÉU CONTINUA COM A FRENTE AMPLA


Ou assista em vídeo


Nota atualizada em 8 de outubro de 2020


No domingo, 27 de setembro de 2020, parte do 2.694.370 eleitores uruguaios foi às urnas para eleger seus intendentes (prefeitos) e vereadores (edis) em todos os 19 departamentos do País. É a primeira eleição no país em meio a pandemia da covid-19, embora o desempenho uruguaio seja um dos melhores do mundo. Porém, isso não foi suficiente para evitar uma alta abstenção eleitoral para a tradição uruguaia (16,1%), fácil de entender pela própria questão sanitária e pelo fato de o perfil etário do eleitorado contar com população de idade mais avançada. A eleição estava originalmente prevista para o segundo domingo de maio, mas em comum acordo resolveu-se por seu adiamento para fim de setembro para aguardar o arrefecimento dos efeitos da pandemia. No Uruguai, os departamentos equivalem aos municípios no Brasil e a denominação município é empregada com o sentido mais aproximado de distritos. Em Montevidéu, capital do país, e de longe o município mais populoso e de maior contingente de eleitores, a candidata ANA CAROLINA COSSE Garrido (58) da Frente Ampla (FA), engeheira de formação e senadora da República eleita em 2019, quem venceu o pleito e, assim, manteve a prefeitura sob o controle de sua agremiação caminhando para o sétimo (7o) mandato consecutivo. A particularidade do sistema eleitoral do país oriental é o fato de a legenda poder dispor de mais de um candidato ao mesmo cargo e os votos de todos são somados sendo eleito o que ficou à frente. É a chamada Lei de Lemas, uma tradição uruguaia que chegou a ser adotada no Brasil durante o regime militar nos votos para o Senado Federal. Porém, das quatro (4) forças políticas que disputaram o pleito, somente a FA contou com mais de um (1) candidato. E foi graças a o emprego deste recurso que a legenda de esquerda permanecerá à frente da Intendência (Prefeitura) por mais um período. Apesar da importante vitória da FA na capital, jurisdição que concentra 38,65% do eleitorado, a agremiação venceu em apenas outros dois (2) departamentos (Canelones e Salto), enquanto o Partido Nacional (BLANCO), o qual elegeu o atual presidente nas últimas eleições, obteve vitória em nada menos que 14 departamentos. E o outro partido tradicional, o Partido Colorado conquistou apenas um (1) departamento (Rivera). Na tabela a seguir, os votos que aparecem para a candidata vencedora são na realidade a soma dos dados a ela com os dos outros dois (2) companheiros da legenda.

Resultados das eleições para prefeito de Montevidéu
CANDIDATO/CRITÉRIO PARTIDO VOTOS RECEBIDOS % ELEITORADO
ANA CAROLINA COSSE Garrido Frente Ampla 454.980 48,68
MARIA LAURA RAFFA Degeromini Partido Independente 349.729 33,58
EDUARDO Jose RUBIO Vico Partido Assembleia Popular 003.751 0,36
LEONEL GARCIA Laviano Partido Verde Animalista 003.509 0,34
SOMA DOS CANDIDATOS 378.316 77,96
VOTOS EM BRANCO 019.715 1,89
VOTOS NULOS 022.866 2,20
VOTOS RECHAÇADOS 000.123 0
VOTOS EM BRANCO PARCIAL 019.089 0,88
COMPARECIMENTO 406.159 39,00
ABSTENÇÃO 167.713 16,10
ELEITORADO APTO 1.041.475 100

Um dos companheiros da fórmula da FA foi o ex-prefeito DANIEL Carlos MARTINEZ Villamil (63), quem governou o departamento de 9 de julho de 2015 a 1 de abril de 2019, deixando o cargo antes do término do mandato para ser candidato à Presidência da República. Agora, ele foi apenas o terceiro (3o) colocado na legenda. Carolina Cosse, como também é conhecida, foi presidente da Administração Nacional de Telecomunicações (ANTEL) (2010-2015) na gestão do ex-presidente JOSÉ Pepe MUJICA Cordano (85) e ministra de Indústria, Energia e Minas na gestão do ex-presidente TABARÉ Ramón VAZQUEZ Rosas (80) (2015-2019). A nova chefe de governo conviverá com uma câmara municipal (Junta Departamental) de 31 vereadores. Desde 1996, a câmara da capital tem o mesmo número de edis que os demais municípios do país, fato este que gera distorção na representação popular, apesar de economizar recursos dos contribuintes.


PALAVRAS-CHAVES (TAGs) : - Ana Carolina Cosse, Câmara Municipal, Daniel Martinez, Departamentos do Uruguai, Eleições municipais de 2020, eleições municipais no Uruguai, ex-ministra da Indústria, Energia e Minas, FA, Frente Ampla, Junta Departamental, Partido Blanco, Partido Colorado, Partido Nacional, resultados oficiais, resultados das eleições em Montevidéu



Voltar ao Menu


Página principal



URUGUAI ASSUME PRESIDÊNCIA DO MERCOSUL



PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Assunção; Declaração conjunta; Ex-ministro das Relações Exteriores; 56a Cúpula de presidentes do Mercosul; Mercosul; Presidente da Argentina; Presidente do Brasil; Presidente do Paraguai; Presidente do Uruguai; Presidente Alberto Fernandez; Presidente Jair Bolsonaro Presidente Luis Ablerto Lacalle Pou; Presidente Mario Abdo; Reunião virtual


Voltar ao Menu


Página principal


CRIME DOS MILITARES


PROVÁVEIS AUTORES DETIDOS


Nesta, segunda-feira, 2 de junho de 2020, a polícia uruguaia por meio da Fiscal Mirta Morales anunciou que a detenção de três (3) suspeitos do cruel assassinato de três (3) militares da Infantaria da Marinha ocorrido nas primeiras horas do domingo, 1 de junho de 2020 já conta com prisão preventiva assegurada até 3 de novembro, e, também, da responsabilização de cada um dos envolvidos. Dos três (3) (dois (2) homens e uma (1) mulher), apenas um (1) parece ter sido o responsável material, e os outros dois (2) deram acobertamento ao autor direto. Um dos detidos é um ex-militar da própria infantaria da Marinha que havia desertado no mês de março passado, tendo estado na corporação desde 2014. Aumentando a probabilidade de terem encontrado os responsáveis, o ministro do Interior, Jorge Larragña informou no final do próprio domingo que os mesmos tinham em sua posse três armas Glock, com respectivos carregadores, as quais, provavelmente, haviam sido as mesmas subtraídas das vítimas. Não obstante, a fiscal Morales afirmou que apenas uma (1) destas é efetivamente a que foi roubada de uma das vítimas. Para a autoridade, fica comprovado ao menos que a razão primeira do crime foi o roubo das armas, mas isto ainda não é suficiente para afirmar qual seria seu desdobramento. A provável dinâmica dos acontecimentos foi relatada em conferência de imprensa pela fiscal, que disse que o presumido autor não encontrou resistência para adentrar a unidade por lá ter servido e conhecer muito bem o local, bem como os ex-colegas. Duas (2) estavam no posto de guarda, porém ouvindo música com auriculares e, assim, foram facilmente executados, enquanto a terceira estaria dormindo, acordou pouco antes de ser morto, mas já estaria sem a arma para se defender. De acordo com o cientista político Rui Tavares Maluf (61), professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) “o simples fato de outras armas encontradas da mesma marca com os detidos não serem duas (2) das subtraídas das vítimas indica o quanto ainda resta por se conhecer, e mesmo que se trata de finalidade ligada à criminalidade comum, indica o patamar no qual se encontra a criminalidade no país”.

PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Autores do crime da Infantaria da Marinha; Cientista político; Fiscal Mirta Morales; Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo; Marinha do Uruguai; Marinheiros assassinados; Ministro da Defesa; Ministro do Interior; Ministro Jorge Larragna; Pistola Glock; Presidente Lacalle Pou; Professor da FESPSP;

Voltar ao Menu


Página principal


TRÊS MILITARES ASSASSINADOS


No domingo, 31 de maio de 2020, por volta das 08hs00, em Montevideo, três (3) militares da infantaria da Marinha do Uruguai foram encontrados mortos nos local onde estavam de guarda próximos à Fortaleza del Cerro. Os militares que os encontraram constaram que os mesmos estavam sem suas pistolas Glock, bem como os respectivos carregadores e um equipamento de rádio portátil. A fiscal imediatamente encarrecada do caso, MIRTA MORALES afirmou à imprensa que no momento não se pode descartar nenhuma hipótese e, portanto, não é possível fazer qualquer consideração. Por sua vez, o presidente da República, LUIS Alberto Aparicio Alejandro LACALLE POU (46), Partido Nacional (Blanco), afirmou depois de prestar condolências às famílias e informar que será decretado luto nacional, que "vamos combatê-los, perseguir e serão julgados". Os ministros da Defesa Nacional, JAVIER GARCIA e do Interior JORGE LARRAGNA estiveram no local sendo que o primeiro declarou de não se lembrar de ter vivenciado algo "tão grave". Para o cientista político brasileiro Rui Tavares Maluf (61), professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP o simples fato de três jovens militares serem mortos em serviço é de alta gravidade ainda que não se conheça ainda a motivação. Qualquer que venha a ser a caus indica desdobramentos preocupantes. Se for resultado do crime organizado sugere a força e a audácia do mesmo desafiando o Estado de Direito, embora no momento este não seja um grande problema no país vizinho. Se tiver sido causado por desavenças internas também é muito grave revelando problemas na hierarquia e disciplina e, provavelemnte, estaria ligado à criminalidade comum. Caso, seja de natureza política é mais temerário, embora não é demais lembrar que o Uruguai tem se destacado como um país dos mais civilizados no Continente sul-americano."


Voltar ao Menu


Página principal



PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Cientista político; Fiscal Mirta Morales; Fortaleza del Cerro; Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo; Marinha do Uruguai; Marinheiros assassinados; Ministro da Defesa; Ministro do Interior; Ministro Javier Garcia; Ministro Jorge Larragna; Pistola Glock; Presidente Lacalle Pou; Professor da FESPSP;


LACALLE POU TOMA POSSE


Neste domingo, 1 de março de 2020, o ex-senador e ex-deputado nacional LUIS Alberto Aparicio Alejandro LACALLE POU (46), Partido Nacional (Blanco), e a ex-vereadora e ex-deputada nacional BEATRIZ ARGIMON Cedeira (58) tomaram posse na Assembleia Geral (Parlamento) como presidente e vice-presidente respectivamente da República Oriental do Uruguai para governá-lo por cinco (5) anos em substituição ao presidente TABARÉ Ramon VAZQUEZ Rosas (79), Frente Ampla, e de LUCIA TOPOLANSKY Saavedra (75) quem concluiram neste dia seu mandato. Tabaré cumpria seu segundo mandato não consecutivo (não há direito a reeleição subsequente no país). Durante seu discurso de posse, o novo presidente destacou a importância do regime democrático sublinhando já em seu início que "Pela sétima vez consecutiva o Uruguai se presta a viver uma mudança de mando entre dois presidentes eleitos pelo povo. Os oito presidentes desde o retorno à democracia concluíram seu mandato. Três partidos distintos se sucederam no exercício do Poder Executivo e ao largo dos últimos 35 anos a Constituição tem tido plena vigência. Somos reconhecidos como uma das democracias mais plenas do mundo". Ainda em sua fala oficial ele fez questão de afirmar que chegou ao cargo "para continuar o que se fez de bom. Para corrigir o que foi mal feito" fala esta que não deixou de lembrar o atual presidente do Brasil, JAIR Messias BOLSONARO (64), presente a cerimônia, político um pouco mais próximo a seus valores, mas mesmo assim, com comportamento bem diferente como o de rejeitar tudo que foi feito por seus antecessores, além de mostrar em seus vários embates políticos e com a imprensa pouco apreço substantivo pelo regime democrático. Quanto ao seu programa de governo, ele reiterou o que já havia dito durante a campanha, que é preciso melhorar a situação fiscal do pais, "o mais alto nos últimos 30 anos", lembrando que será um governo de austeridade que zelará por cada peso dos contribuintes e, por isso, criará a Agência de Avaliação e Monitoramento de Políticas Públicas. Vai também realizar uma reforma da previdência social, bem como vai dar grande ênfase ao problema da seugrança, a qual apresentou grave incremento na criminalidade apesar do orçamento público também ter subido significativamente no período. Registre-se que a forma de estado no Uruguai é unitária e, assim, o governo nacional tem grande responsabilidade na matéria. Dentre os chefes de Estado que compareçaram à cerimônia estiveram, além do presidente brasileiro, os do Chile, SEBASTIAN PIÑERA Echenique, da Colômbia, IVAN DUQUE, e o rei da Espanha, FELIPE VI.


PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Assembleia Geral, Beatriz Argimon CederLuis Alberto Lacalle Pou, Poder Legislativo, Posse do presidente da República Oriental do Uruguai, Tabaré Vazquez.



Voltar para o topo da página


Página principal


LIGEIRA ALTERAÇÃO NO RESULTADO FINAL


Neste sábado, 30 de novembro de 2019, a Corte Eleitoral divulgou dados ainda mais atualizados de sua recontagem da eleição presidencial em segundo turno do domingo anterior, os quais produzem ligeira alteração no que havia sido divulgado na última quinta-feira, 28 de novembro, quando se deu a oficialização da vitória do candidato da oposição, LUIS ALBERTO LACALLE Pou (46), Partido Nacional. Com isso, tanto os votos absolutos dados a Lacalle aumentaram quanto os percentauais sobre o candidato oficial DANIEL MARTINEZ, Frente Ampla. Veja a seguir os dados que agora são assumidos pela corte como sendo definitivos:

  • LUIS ALBERTO LACALLE POU - - 1.189.313, 50,79% dos votos válidos, 48,88% do comparecimento e 44,05% do eleitorado;

  • DANIEL MARTINEZ - 1.152.271, 49,21%¨dos votos válidos, 47,36% do comparecimento; 42,68% do eleitorado;

  • VOTOS NOMINAIS - 2.341.584, 100%, 96,23% do comparecimento; 86,73% do eleitorado;

  • VOTOS EM BRANCO - 38.024, 1,56% do comparecimento; 1,41% do eleitorado;

  • VOTOS NULOS - 53.193, 2,19% do comparecimento; 1,97% do eleitorado;

  • VOTOS OBSERVADOS RECHAÇADOS - 395, 0,02% do comparecimento; 0,01% do eleitorado;

  • COMPARECIMENTO - 2.433.196, 100%; 90,12% do eleitorado;

  • ABSTENÇÃO - 266.7849,88% do eleitorado;

  • ELEITORADO - 2.699.980 100%

O novo presidente terá a partir de março, quando toma posse, um duro teste de paciência e de habilidade pois lidará com um Parlamento no qual seu partido não terá maioria garantida mesmo com o apoio dos demais partidos de oposição que lançaram candidatos a presidente no primeiro turno.


PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Alteração nos números finais, Corte Eleitoral, Daniel Martinez, Eleição presidencial, Luis Alberto Lacalle Pou, Frente Ampla



Voltar para o topo da página


Página principal


LACALLE POU INTERREMPE HEGEMONIA DA FRENTE AMPLA


Na quinta-feira, 28 de novembro de 2019, em Montevideu, a Corte Eleitoral confirmou a vitória do candidato LUIS ALBERTO LACALLE Pou (46), Partido Nacional à Presidência do Uruguai sobre o candidato da Frente Ampla DANIEL MARTINEZ, ex-prefeito de Montevideu, no segundo turno disputado no domingo, 24 de novembro, por uma estreita margem de 28.666 votos. Devido a pequena diferença e para que não houvesse dúvidas, a Corte Eleitoral fez a recontagem dos chamados votos observados que são os emitidos por todos aqueles que trabalham nas eleições. A recontagem não sofreu alterações. Luis Alberto Lacalle é filho do ex-presidente da República, LUIS ALBERTO LACALLE Herrera (78) (1990-1995), também filiado a mesma agremiação. Ao derrotar o candidato Martinez, Lacalle Pou, que já havia disputado o cargo em 2014, interrompe a hegemonia da esquerda no Uruguai que vem desde 2005 quando assumiu a presidência o atual mandatário, TABARE Ramon VAZQUEZ Rosas (79), que está para concluir o segundo mandato não consecutivo. Para além do feito de por um freio nos governos frenteamplistas, a vitória de Luis Alberto é comemorada por ele ter chegado em segundo lugar no primeiro turno (ficando 11 pontos percentuais atrás) e ter conseguido virar o resultado, graças, em parte, ao engajamento de alguns dos outros candidatos derrotados que com ele competiram, mas, igualmente, por um desejo claro de ampla parte da sociedade uruguai que entendia já ser hora de mudar uma vez que determinadas pautas não eram percebidas como bem desempenhadas pelo atual governo, como segurança pública e emprego.

A seguir os resultados oficiais do segundo turno

  • LUIS ALBERTO LACALLE POU - 1.168.019, 50,62% dos votos válidos; 48% sobre o comparecimento; 43,26% sobre o eleitorado;

  • DANIEL MARTINEZ - 1.159.353, 49,38% dos votos válidos; 46,82% sobre o comparecimento; 42,20% sobre o eleitorado;

  • VOTOS EMITIDOS (VÁLIDOS) - 2.307.372 100% dos votos válidos; 94,83% sobre o comparecimento; 85,46% sobre o eleitorado;

  • VOTOS EM BRANCO - 36.996 - 1,52% sobre o comparecimento; 1,37% sobre o eleitorado;

  • VOTOS NULOS - 53.619 - 2,20% sobre o comparecimento; 1,99% sobre o eleitorado;

  • VOTOS IMPUGNADOS - 35.229 - 1,45% sobre o comparecimento; 1,30% sobre o eleitorado;

  • COMPARECIMENTO - 2.433.216 - 100% comparecimento; 90,12% do eleitorado;

  • ABSTENÇÃO - 266.764 - 9,88% do eleitorado;

  • ELEITORADO - 2.699.980 - 100%

Embora os percentuais de votos nulos ficaram abaixo da média sulamericana dos últimos anos em segundo turno, o montante em absolutos ficou bem acima da diferença de votos pela qual o candidato Martinez perdeu para Lacalle Pou. O presidente eleito teve poucos votos na capital do país na qual Martinez governou estes últimos anos e onde a esquerda é mais forte. No entanto, seu crescimento no segundo turno foi muito bom mesmo que novamente tenha ficado em segundo lugar. Enquanto Martinez cresceu 17,49% no segundo, Lacalle Pou teve um incremento de 82%.


PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Corte Eleitoral, Daniel Martinez, Eleição presidencial, Luis Alberto Lacalle Pou, Frente Ampla, Montevideu, Partido Nacional, Presidente do Uruguai, Vitória em segundo turno.



Voltar para o topo da página



PRESIDENTE INFORMA TER CÂNCER


Terça-feira, 20 de agosto de 2019, às 17hs00, na Torre Executiva, o presidente da República Oriental do Uruguai, TABARE Ramon VAZQUEZ Rosas (79) (Frente Ampla) convocou a imprensa para informar que em exames médicos feitos recentemente detectou-se em um de seus pulmões nódulo cangerígeno maligno. Disse ainda que se tratará no próprio país devido a excelência de seu corpo médico e instalações. A ironia é que o presidente é médico de reputação internacional e com especialização em oncologia e radioterapia. O menos grave, talvez, seja o fato de que isso ocorra já no final de seu mandato, embora o país esteja em meio a processo eleitoral para a escolha de seu sucessor, bem como da renovação do Congresso Nacional (CN).


PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Câncer, Congresso Nacional, Doença, Presidente do Uruguai, Presidente Tabaré Vazquez, Torre Executiva, Tumor maligno


GOVERNO URUGAIO NEGA ASILO A EX-PRESIDENTE DO PERU


Na segunda-feira, 3 de dezembro de 2018, o presidente do Uruguai, TABARE Ramon VAZQUEZ Rosas (78), acompanhado do ministro das Relações Exteriores, Rodolfo NIN NOVOA (70), anunciou oficialmente que o governo uruguaio nega o pedido de asilo formulado pelo ex-presidente do Peru, ALAN Gabriel Ludwig GARCIA Perez (69), quem havia se refugiado dias atrás na residencia oficial do embaixador uruguaio em Lima, CARLOS BARROS alegando perseguição política. O governo do Uruguai entendeu que as instituições do Peru funcionam com plena liberdade e as acusações contra o ex-mandatário são por crime comum, isto é, por suposto delito econômico no qual teria recebido US$ 100.000 da construtora brasileira Odebrecht em palestra que teria feito no Brasil. A construtora brasileira esteve profundamente envolvida na Operação Lava Jato desencadeada por ação conjunta da Polícia Federal e Ministério Público do Brasil, com sólido apoio do Poder Judiciário. Nesta mesma alocução, o chanceler uruguaio solicitou a imediata saída do ex-presidente Garcia da residência oficial do embaixador.


PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Alan Garcia, Ex-presidente Alan Garcia, Ex-presidente do Peru, Ministro Rodolfo Nin Novoa, Pedido de asilo negado, Presidente Tabaré Vazquez, Relações internacionais



PRESO COMANDANTE DO EXÉRCITO DO URUGUAI


Na segunda-feira, 10 de setembro de 2018, em reunião do Conselho de Ministros, o presidente da República, TABARÉ VASQUEZ, (77) Frente Ampla, determinou a prisão do comandante do Exército, GUIDO MANINI Rios pelo prazo de 30 dias em consequência de comentários públicos que este fez contrários ao projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional, o qual propõe a reforma da Caixa Militar, que se trata do serviço de aposentadorias e pensões dos integrantes das Forças Armadas. Assim, além dele fazer declaração considerada de natureza política, o que é vedado pela Constituição, criticou o ministro do Trabalho, ERNESTO MURRO. O episódio que gerou o comentário do oficial do exército foi a afirmação do ministro do Trabalho de que a proposta legislativa "generosa e gradual", ao que Manini respondeu em uma entrevista concedida ao programa radiofônico Todo Pasa: "creio que não está bem informado. Se o senhor ministro usasse uma calculadora e tomasse os termos da lei e a realidade dos nossos soldados, vai se dar conta de que o que digo é assim. O soldado vai ter que trabalhar mais anos para obter a metade" dos rendimentos atuais. No entanto, o presidente Vazquez fez saber que pretende mantê-lo como chefe do Exército uruguaio por entender que não houve quebra de confiança. No entendimento de P&D tal atitude não deixa de ser irônica e contraditória uma vez que sendo o presidente da República o comandante supremo das Forças Armadas e sendo a Lei Maior clara na necessidade de que os integrantes desta instituição se abstenham de comentários políticos e já tendo sido advertido de uma primeira declaração que fizera dias antes, a decisão lógica seria por sua exoneração. A conduta do presidente da República só pode ser entendida como uma forma de não agravar o descontentamento no seio das Forças Armadas. Não é demais destacar que nos anos 70 o Urugai viveu um regime autoritário no qual os militares estiveram à frente na maior parte do tempo, embora em sua fase inicial a quebra da democracia tenha ocorrido pelas mãos do próprio presidente da República eleito pelo voto popular.


PALAVRAS-CHAVES (TAGs): - Comentário político, Constituição da República do Uruguai, General Guido Manini Rios, Presidente Tabaré Vasquez, Prisão do comandante do Exército, Proposta de Reforma da Caixa Militar


Voltar para o topo da página


NOVA VICE-PRESIDENTE


A senadora da República pela Frente Ampla, LUCIA TOPOLANSKY (72), ex-primeira dama durante a gestão do agora ex-presidente e senador JOSE Pepe MUJICA (82) é a nova vice-presidente da República em lugar do senador RAUL SENDIC (55), seu companheiro de legenda.


VICE-PRESIDENTE RENUNCIARÁ


Neste sábado, 10 de setembro de 2017, o vice-presidente da República RAUL Fernando SENDIC Rodriguez (55) anunciou sua renúncia ao cargo em meio ao agravamento de sua situação perante à Justiça por denúncia de desvio de verba pública e setença condenatória recebida. Também pesou contra sua manutenção no cargo a notícia de ter faltado com a verdade a respeito de sua formação a qual dizia ser em Genética realizada na Universidade de Cuba, a qual não foi confirmada pela instituição.


EX-PRESIDENTE MUJICA OMITIU INFORMAÇÃO


O ex-presidente do Uruguai, José Pepe Mujica admitiu que omitiu em sua declaração juramentada como chefe de Estado em 2010 ter adquirido propriedade rural usando uma sociedade anônima do ex-movimento Tupamaro denominada Galefur S A do qual fez parte e foi um dos principais personagens no ano de 2003. A aquisição foi feita de dois irmãos que estavam endividados pela compra de um caminhão. De acordo com o jornal El Pais, de Montevidéu, em sua edição de 14 de julho de 2016, Mujica afirmo que no ano de 2011 escriturou a propriedade apressadamente pois as sociedades anônimas proprietárias de imóveis rurais deveriam pertencer a pessoas físicas. Desse modo, três dias antes de vencer o prazo fixado pela lei, a saber 27 de junho de 2011, o Fundo Raul Sendic, pertencente aos tupamaros, fez uma consulta ao Ministério da Pecuária se poderia mantê-lo na condição de pessoa jurídica, o que foi vetado. Desse modo, Galefur realizou uma venda fictícia para Mujica e sua esposa, a senadora Topolansky e ao deputado Daniel Placeres (MPP) e sua esposa Estela Pereyra. Mujica, que é senador da República, afirmou no Senado em 13 de julho, que seu objetivo ao morrer é que a escola rural e o prédio que se encontram no respectivam terreno sejam doados a entidade UTU que gerencia as atividades. Aliás, esta teria sido a razão para a aquisção do terreno.


Voltar para o topo da página



TABARÉ VENCE COM FACILIDADE

O segundo turno da eleição presidencial do uruguai, ocorrida no domingo 30 de novembro de 2014, confirmou o favoritismo do ex-presidente TABARÉ VAZQUES (74), Frente Ampla, sobre seu adversário, LUIS LACALLE POU (41), Partido Nacional (Blanco). Vazquez alcançou 1.226.105 votos, correspondentes a 56,6% dos votos válidos e Lacalle Pou 939.074, iguais a 43,37%. Nulos e Brancos somados 6,72% dos que foram às urnas, ou 5,95%. O comparecimento foi de 82,6% do eleitorado de 2.620.791 cidadãos aptos a votar. Apesar da fácil vitória de Tabaré Vazques, Pou cresceu mais do que ele em relação ao primeiro turno. Aumentou sua votação em 206.473 - significativos 281% -, enquanto o novo presidente aumentou 91.918, somente 8,1%. O apoio obtido por Lacalle Pou de seu tradicional adversário do século XX, Partido Colorado, ajudou menos do que ele esperava uma vez que Tabaré tem um perfil que o ajuda a penetrar em redutos das duas históricas agremiações, a despeito de integrar uma coligação de partidos políticos de esquerda. Exemplo da penetração de Tabaré se dá em itens como a liberalização do aborto e da maconha nas quais ele tem posição semelhante a dos candidatos dos partidos que derrotou e diferentemente de seu colega Mujica. Além disso, como é o padrão em eleições presidenciais em dois turnos, há sempre aumento de votos nulos (+78,6%) brancos (+39%) e da abstenção (+20,4%) no segundo turno. Com este resultado a Frente Ampla estará à frente dos destinos do Uruguai pela terceira vez consecutiva e a partir de março do próximo ano, quando Tabaré tomar posse em lugar de JOSÉ MUJICA (79), estará iniciando o 11o ano consecutivo de exercício do poder.

Observação: entre a publicação desta nota em 4 de dezembro de 2014 e a conferência de todos os questionamentos à Corte Eleitoral, poderá haver pequenas diferenças nos resultados, como ocorreram entre a nota publicada no primeiro turno e os resultados oficiais finais. Nada, porém, que alterasse posições, mas apenas a segunda casa depois da vírgula nas porcentagens.


PERFIL DOS NOVOS PARLAMENTARES

Na edição de Domingo, dia 9 de Novembro de 2014, o Diário El Pais, um dos mais importantes do Uruguai, publicou reportagem especial sobre os novos parlamentares do Uruguai, que foram eleitos no pleito de 26 de outubro passado juntamente com a eleição presidencial. A Câmara dos Deputados dispõe de 99 vagas e o Senado de 30. Grande parte dos dados que permitiram formar o perfil é resultado de um questionário aplicado pelo próprio periódico, o qual foi completado por informações públicas sobre os mesmos.

Voltar para o topo da página


TABARÉ VAZQUEZ CONFIRMA FAVORITISMO NO PRIMEIRO TURNO

Domingo, dia 26 de outubro de 2014, 2,6 milhões de eleitores do Uruguai foram às urnas para eleger o próximo presidente da República, que sucederá a José "Pepe" Mujica, bem como renovar o Congresso Nacional e, ainda, decidir em plebiscito sobre tema como maioridade penal. Na eleição presidencial, quatro candidatos concorreram e o candidato da situação e ex-presidente da República, Tabaré Vazquez (Frente Ampla), obteve a primeira colocação com ampla vantagem sobre o segundo colocado, Luis Lacalle Pou (Partido Nacional). Vazquez alcançou 49% dos votos válidos (1.108.839), enquanto seu principal adversário 32% (716.737). Apesar da larga superioridade, haverá segundo turno em 30 de novembro, pois ele não obteve metade mais um dos votos válidos. Porém, mesmo sem decidir a eleição no primeiro turno, Vazquez já conta com maioria legislativa. Os eleitores uruguaios deram clara maioria aos parlamentares da Frente Ampla. O atual presidente José Mujica e o principal candidato presidencial da oposição, Lacalle Pou, elegeram-se, também, senadores, pois tal possibilidade é permitida pela legislação eleitoral do pais. Ou seja, um presidente pode concorrer a um cargo legislativo sem se desincompatibilizar enquanto um candidato presidencial pode pleitear concomitantemente um mandato parlamentar. Caso Lacalle Pou não seja eleito presidente no segundo turno, exercerá o de senador da República. O terceiro colocado na eleição foi Pedro Bordaberry, Partido Colorado, outra centenária agremiação junto com o Nacional (conhecido como Blanco). Bordaberry obteve 299.145, ficando bem atrás de Lacalle Pou. A tendência é de que as duas centenárias e tradicionais legendas estejam unidas no segundo turno, embora seja muito remota a possibilidade de Lacalle Pou vencer. Para entender o por que, basta verificar que somente 2,94% do eleitorado votou nulo ou em branco e poderia eventualmente votar em Lacalle e 10,38% se abstiveram. O candidato da oposição só conseguirá reunir votos para bater Tabaré Vazquez se retirar os que foram a ele dados no primeiro turno.


Voltar para o topo da página